CendeMed – Nossa especialidade é cuidar!

CendeMed – Nossa especialidade é cuidar!

Logo Cendemed - Centro de Especialidades Médicas - Louveira/SP

Inaugurada há pouco mais de ano, a CendeMed vem se consolidando do atendimento à saúde em Louveira e região, com alto índice de satisfação dos clientes, que se dizem “satisfeitos” ou “muito-satisfeitos” em quase 100% das pesquisas de satisfação. Estes chegam a nós principalmente através de indicação de outros pacientes ou de pessoas que seguem nossas redes sociais.

A clínica nasceu para atender às mudanças progressivas que vêm ocorrendo no cenário de saúde brasileiro, já que com a crise econômica dos últimos anos, mais de 2 milhões deixaram de pagar convênios, segundo dados da ANS. E esta parcela é maior entre os jovens, que por terem habitualmente menos problemas de saúde, se sentem menos vulneráveis em não poder contar com um plano de saúde.

Na parcela de idosos, nota-se que estes e suas famílias se sacrificam mais para não ter que cortar o convênio, pois sabidamente são estes os que mais precisam de assistência médica. E são estes também os que mais consome recursos, por usarem mais o plano e serem submetidos a exames mais caros, internações e etc. E quem paga essa conta? Claro que o consumidor, o que encareceu ainda mais as mensalidades dos convênios, que tiveram reajustes muitos maiores do que os reajustes salariais.

A saúde pública, que já estava sobrecarregada, sofreu piora no atendimento devido à maior demanda e também pela crise de recursos financeiros. Postos de saúde, pronto-atendimentos e Pronto-socorros vivem lotados e com filas descomunais. Por não terem acesso ao atendimento básico, muitos casos que seriam tratados em nível ambulatorial, viram urgência: a gastrite vira úlcera, a consulta para discutir contracepção vira gravidez indesejada, a artrose inicial vira uma necessidade de uso de prótese de joelho, um câncer em estágio inicial vira uma doença não tratável, a pressão alta não controlada vira um acidente vascular cerebral.

Não à toa que a saúde foi uma das principais solicitações da população nas últimas eleições, refletindo os anseios de quem vive a angústia de aguardar um tratamento enquanto sente que sua saúde piora. E que muitas vezes chega tarde demais!

No caso de câncer, por exemplo, estudos apontam que nos países desenvolvidos, a imensa maioria dos pacientes chega aos serviços de tratamento especializado em estágio inicial da doença, o que diminui sobremaneira a mortalidade e a morbidade (sequelas e comprometimento de qualidade de vida do paciente), justamente porque os programas de rastreamento são rápidos e eficientes.

Mas temos que lembrar que não basta apenas ter acesso aos serviços de saúde.

Talvez o câncer seja a doença mais temida pelo paciente. Tão temida que muitas vezes o mesmo não tem nem coragem de pronunciar o nome.

Por definição, todo câncer se inicia como uma proliferação desordenada e atípica, sendo detectado inicialmente apenas através da análise de pequenas células do nosso corpo, muitas vezes até mesmo antes do aparecimento dos sintomas. É mais frequente em idosos, justamente porque estes já estão passando por um processo de envelhecimento e degeneração celular. Tabagismo, uso abusivo de álcool, obesidade, sedentarismo , não amamentar, ter contato com alguns tipos de doenças sexualmente transmissíveis são fatores de risco mutáveis e fortemente associados com a origem de boa parte dos tumores malignos.

A obesidade, por exemplo, aumenta o risco dos tipos de câncer de intestino, esôfago, pâncreas, rim, útero, mama, ovário, vesícula, próstata e fígado. Estima-se que possa haver uma redução entre 30-40% na incidência destas doenças ao se adotar um estilo de vida mais saudável, com alimentação pobre em gorduras e variada em frutas e legumes, além de praticar atividade física.

Já o contato com o vírus do HPV, que é uma doença sexualmente transmissível, aumenta sobremaneira o risco de câncer de colo uterino e de pênis.

Amamentar por pelo menos 6 meses, reduz drasticamente a possibilidade de ter um câncer de mama.

No Brasil, 25% dos casos de câncer são os de pele. Sendo assim, é muito importante o uso de protetor e bloqueadores solares, além de outras barreiras físicas como roupas, chapéus e óculos de sol, além de evitar o horário de sol mais danoso, que se estende das 10 ás 14 horas.

Alguns, porém, por serem ligados a fatores genéticos, não são mutáveis:

Homens de raça negra ou com paredes diretos (pai ou irmão) com casos de câncer de próstata devem ser seguidos de forma mais rigorosa, já que para este tipo de lesão, o fator genético desempenha importante papel.

No caso do câncer de mama, o risco é maior entre as mulheres com parentes em primeiro grau (mãe, irmã ou filha) que tiveram a doença, chegando a quase dobrar.

Para o câncer colorretal, um quinto dos pacientes afetados possuem parentes de primeiro grau com a mesma enfermidade. No caso do câncer ter aparecido em um paciente com menos de 45 anos, o risco é ainda maior e por isso este paciente deve ser monitorado rigorosamente.

Importante salientar que os fatores de risco tendem a se somar e por isso mesmo cada indivíduo deve conversar com seu médico, que avaliará seus sintomas,, história de doenças pregressas e história de patologias familiares, a fim de bolar um plano preventivo ou terapêutico que contemple estas questões.

Atualmente o diagnóstico de câncer não significa mais ter um atestado de óbito com data a definir em breve. Existe um arsenal de exames, tratamentos clínicos e cirúrgicos que garantem cura e grande sobrevida; e este sucesso depende do diagnóstico precoce e do acesso a tratamentos rápidos e de qualidade.

Invista em você, em sua saúde e na de seus familiares.

Pode contar conosco. Nossa especialidade é cuidar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *